#ASMULHERESQUEFAZEMAHOPE: Lila Mizrahi, lojista multimarcas

07/03/2019 | Por Equipe Hope

Lila Mizrahi é uma das mulheres que fazem a HOPE com primor! Filha de empresários, Lila entrou no mercado da moda ainda cedo. Hoje comanda a Jolie Lingerie, multimarcas no bairro do Bom Retiro, em São Paulo, com venda especializada em lingeries. A HOPE é uma de suas maiores paixões e Lila contou tudo sobre lidar com marcas e público feminino. Acompanhe! Ah, não esquece de contar pra gente o que achou nos comentários abaixo:

Inspire-nos com sua história no mercado de trabalho!

Sou formada em Artes Plásticas, o mundo da moda sempre me atraiu. Trabalhei por muito tempo na área administrativa e financeira nos negócios da família. Quando optei por trabalhar de forma independente, assumindo parte dos negócios, também assumi a área comercial e, para minha surpresa, me encantei. Me apaixonei pelo mercado e tive anos maravilhosos, me encontrei naquilo que fazia. E continuo na batalha, crescendo com a HOPE!

Parte do encanto foi seu encontro com marcas superfemininas – afinal, você vende lingerie. Como foi com a HOPE?

Foram longos anos de namoro entre a Jolie e a HOPE e as coisas se encaixaram. É um momento muito especial que vivemos. Adoro qualidade e tecnologia. Acho que o mercado brasileiro de lingerie está avançado, superando o internacional. Amo a lingerie brasileira, acho ela pensada para mulheres reais. A mulher brasileira está no caminho de se aceitar cada vez mais como ela é, principalmente em frente ao espelho.

O melhor de tudo é que é clara sua satisfação pelo que faz!

Adoro o que faço, sempre estou lutando pelos meus ideais. Se as coisas estão difíceis, não desisto. Proponho a mim mesma objetivos tangíveis e quando os alcanço, encontro novos desafios. Isso é o que me mantém em contínuo desenvolvimento pessoal e profissional.

Sempre quero oferecer à minha consumidora o que há de melhor e inovador no mercado. Nesse sentido, a HOPE é uma grande parceira. Fiquei muito bem impressionada ao visitar o escritório da HOPE e me deparar com tantas mulheres dedicadas a esse trabalho. Parabéns à equipe!

Você me disse que começou a trabalhar na área financeira. A gente sabe que muitas mulheres ainda passam por preconceitos no mercado de trabalho, situações em que nos olham com inferioridade. Você já passou por algum caso específico por ser uma mulher nessa posição de comando?

Talvez essa questão seja mais ampla e diga respeito não só ao mercado de trabalho, mas à vida como um todo. Diante de uma situação dessas, procuro tirar o melhor, busco me aperfeiçoar cada vez mais e isso só me fortalece. Sempre tive meus princípios muito enraizados. Aprendi muito com meu pai, homem de personalidade bastante forte. Tive que provar minha competência para dar segurança aos meus funcionários e parceiros. Estamos tendo êxito.

Você comentou do seu grande mentor, seu pai. Tem alguma mulher que você se inspira, ou que te ensinou muitas coisas?

Minha mãe. Ela me ensinou a acreditar em mim, nunca desistir, ser independente e fazer aquilo que acredito, não me importar demais com os julgamentos. Ser filha de uma psicanalista tem suas vantagens!

Além de empresária, você é mãe! Como é lidar com tantas “personas” da Lila?

É difícil! Tento acordar todo dia com a cabeça tranquila para ser uma pessoa melhor. A mulher é capaz de fazer muitas coisas ao mesmo tempo. Precisa ter a cabeça no lugar, senão, pira! Acordo cedo, levo meus filhos para escola, vou para o escritório, cuido do comercial, financeiro, administrativo, mantenho meus funcionários motivados e procuro chegar em casa disposta. Depois de muitos anos, aprendi a separar, deixar o trabalho do lado de fora de casa. A vida é uma caixinha de surpresas e precisamos ter abertura e disponibilidade para poder fluir.

E ser mulher é realmente viver um dia de cada vez, uma superação. Como você se mantém tão confiante?

Acreditando naquilo que faço, confiando em mim e nas pessoas. Isso é fundamental. Procuro aprender com tudo que vem a mim. O que não serve, deixo passar. Quando temos propósito e confiança, comunicamos isso aos outros e vivemos uma verdade. Em momentos difíceis, procuro dar a volta por cima, colocar bem os pés no chão e renovar a confiança. Seguimos!