5 passos para valorizar os laços pessoais e fortalecer a amizade

11/10/2019 | Por Equipe Hope

Como estar presente durante o momento do diagnóstico e o tratamento do câncer de mama

A amizade é um dos pilares fundamentais ao atravessar um câncer. A parceria permite que exista ajuda concreta no cotidiano (que amiga você levaria junto na hora de escolher lenços, chapéus e perucas, por exemplo?) e também permite criar uma narrativa própria sobre a doença, processo fundamental em termos de saúde psíquica.

“Aprendi que, mais do que qualquer coisa, câncer é sobre histórias e amizades”, diz um depoimento publicado no blog “Well”, do jornal The New York Times. “Ao contar nossas histórias e recusar o silêncio, negando esconder-se atrás do estoicismo, nos apropriamos delas, e talvez tenhamos uma chance de nos entender. São nossas histórias, e devemos insistir nisso”.

Veja a seguir 5 passos para ser importante e presente na vida de uma amiga que descobriu a doença:

1. Não diga coisas como “você precisa se animar” ao ouvir sobre preocupações e tristeza. Separe sua dificuldade em lidar com sentimentos duros da dificuldade da amiga em questão. Talvez ela precise apenas falar e ser escutada.

2. Evite fazer perguntas demais. Interessar-se é diferente de estar meramente curiosa. Pense que pode ser cansativo explicar sobre o tratamento. Talvez sua amiga queira apenas assistir a um filme ou dar um passeio, sem precisar ter a doença como pano de fundo. O câncer não deve ser tabu, mas também não pode ser o único assunto.

3. Sinta-se confortável para confessar que, muitas vezes, não sabe o que dizer, tem medo de dizer algo errado, ser invasiva etc. É preciso que você também se sinta à vontade para mencionar as inseguranças que a doença da amiga desperta em você. Assim, ambas podem achar um espaço sincero para trocas.

4. Sinalize quanto a procurar suporte profissional. A paciente pode e deve ser amparada por uma rede de amigos, médicos e especialistas em comportamento humano. A carga pode ser muito pesada para uma pessoa só.

5. Incentive sua rede de amigas a fazer exames periódicos. Quanto mais cedo ocorrer o diagnóstico, melhor o prognóstico e as chances de cura. O ideal é fazer visitas ao ginecologista pelo menos uma vez ao ano.

Fontes: American Cancer Society; Cancer.Net (American Society of Clinical Oncology); Júlia Ribeiro Lamardo, médica.

Related Posts

None found